adsense

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Os Sete Pecados “Capitais” nas Vendas!

      Na hora de estabelecer metas de vendas, competir para ampliar seu espaço no mercado ou mesmo usufruir dos resultados, os empreendedores e seus vendedores correm o risco de cometer "pecados capitais" que os afastam dos clientes, em vez de atraí-los. Abaixo, transferimos os sete pecados capitais para as vendas. Cuidado para não cometê – los.
GULA: "Se o mercado consome 100 peças e só estou vendendo 5, preciso vender as 100", pensa o empreendedor fominha. Esse empresário pode criar metas intangíveis. A pergunta é: existe espaço para vender mais?
INVEJA: "Se o outro alcançou, não posso ficar atrás", pensa o empreendedor invejoso. Competir é bom, mas o vendedor que estabelece seus objetivos com base no que o vizinho conquistou sempre vai ficar atrás. Para vender mais e crescer, ele deve pensar em superar a si próprio para ampliar o seu espaço.
SOBERBA: "Sem mim, a empresa não anda", pensa o vendedor orgulhoso. É a percepção de que as vendas são a área mais importante da empresa. O negócio é um organismo vivo que depende de todos para ter sucesso, não adianta vender se o setor produtivo não tiver capacidade de atender!
AVAREZA: "A comissão está acima de tudo" é o lema do vendedor avarento e ganancioso. Ele quer fechar a venda a qualquer custo sem se importar com a satisfação do cliente. Esse tipo de comportamento desgasta a negociação, prejudica futuras vendas e a relação com clientes que têm potencial de virar fregueses.
PREGUIÇA: "Está tudo ganho", pensa o vendedor preguiçoso. Muitas vezes a preguiça faz com que se perca a venda. O cliente não encontra seu contato para retorno e, por pura falta de iniciativa, a venda cai. É preciso manter o contato com possíveis clientes
LUXÚRIA: “Eu quero cadavez mais, não importa como”. Essa é a porta de entrada para a ira. É a venda a qualquer custo, sem olhar a quem, e quando é tão exposto esse “a qualquer preço”, o cliente se perde, e o vendedor acaba achando que a culpa não foi dele e sim do cliente que perdeu um ótimo negócio. Nesse caso, os pricípios e todos à as volta devem ser respeitados.
IRA: "Quem não quer mais agora sou eu", pensa o vendedor que perde o equilíbrio e se irrita com o cliente. Atitudes assim fazem o vendedor desistir da venda por não saber separar sentimentos dos negócios.

Nenhum comentário:

Postar um comentário